Gravidez: Como e Porquê Prevenir Doenças Infeciosas

Na primeira semana de agosto, assinala-se a Semana do Aleitamento Materno.Em antecipação à data, e a  pensar na saúde das futuras mamãs e das crianças nossas utentes, a Dra Isabel Bento, Especialista em Análises Clínicas e Genética Humana nos laboratórios Beatriz Godinho Saúde, preparou um artigo de leitura simples e relevante:

As doenças infeciosas alteram a saúde da futura mamã, podendo influenciar negativamente a sua fertilidade.

Sabe-se que a infeção materna pode ser causa de aborto, nado-morto, malformação congénita, atraso de crescimento intrauterino, rotura prematura de membranas, parto pré-termo ou infeção neonatal.

Só o diagnóstico precoce e o tratamento atempado contribuem para reduzir o risco de complicações, fazendo diminuir a morbilidade e mortalidade perinatal e infantil.

Algumas doenças infeciosas que podem complicar a gravidez:

Toxoplasmose

Medidas preventivas ao nível da alimentação: lavar sempre os vegetais, frutas e legumes; não colocar as mãos nos olhos ou na boca aquando da preparação da carne crua; evitar a carne crua ou mal passada; o congelamento diminui a infetividade do parasita; comer os ovos bem cozinhados; só ingerir produtos lácteos pasteurizados.

Medidas preventivas ao nível do contato com animais e meio ambiente: usar luvas ao fazer jardinagem; manter os aposentos dos gatos limpos e desinfetados, usando luvas quando os limpa; dar-lhes sempre ração em vez de carne; se os alimentar com carne que seja bem passada; evitar que este cace animais para comer.

Mitos sobre a doença: “o contacto direto de mulheres grávidas com os felinos é perigoso e aumenta o risco de ser infetado” – o que é absolutamente falso: a doença não se transmite por lambidela ou arranhadela de gato. Desde que sejam seguidas as medidas de prevenção, não terá qualquer problema em ter um gato em casa.

Citomegalovírus

Medidas preventivas: lavar cuidadosa e intensamente as mãos com água e sabão após o contato com fraldas, saliva ou lágrimas de bebés; não beijar crianças com idade inferior a 6 anos, na boca ou na face, que pode substituir por um grande abraço; não partilhar comida, bebida ou utensílios com as crianças; se trabalha em infantário, reduza o risco de infeção, trabalhando com crianças com mais de 2,5 anos de idade, sobretudo se não está imune ao CMV.

Rubéola

A vacinação generalizada é o principal meio de prevenção.

Varicela

A única prevenção possível consiste em minimizar o risco de contágio. Todas as grávidas devem ser aconselhadas a evitar contato próximo com doentes, nomeadamente, crianças com síndroma febril.

Poderá contar com o seu laboratório de análises clínicas de confiança na avaliação do seu estado imunológico a estas doenças: desde a preparação, durante e pós-término da gravidez.

Para nós, profissionais, será sempre um prazer ajudá-la a ser uma gestante saudável!

Mais informação acerca dos nossos serviços de saúde associados à GRAVIDEZ para consulta nos seguintes links:

- Análises Clínicas antes e durante a gravidez - mais info nos nossos postos de colheita

- Análises Genéticas | Testes Pré-Natal Não Invasivos

- Consultas de Ginecologia/Obstetrícia | Clínicas Polidiagnóstico

- Ecografias Obstétricas | Polidiagnóstico Leiria

Voltar